E se você soubesse


Essa é a primeira vez que escrevo para você, ou melhor, escrevo pensando em você, já que são praticamente nulas as chances de você vir a ler essas meras palavras escritas em meio às lágrimas que se transformam em suaves gotas de chuva. Talvez o fato de ter a certeza de que você, não irá ler essas palavras faz com que a correnteza que assola a tranquilidade de meu coração, transforme-se em simples ondas que apenas me tragam paz.

Se eu te contasse que nos últimos meses pensei em você quase que todos os dias, você acreditaria? Se eu gritasse a todo vapor que sei que tu realmente gostas de Ed Sheeran tanto quanto eu, você acreditaria? E talvez se eu te contasse em um sussurro quase que inaudível que realmente penso estar me apaixonando por você, por um acaso você iria acreditar?

Seja aos gritos ou aos sussurros, será mesmo que iria acreditar em algo ou apenas iria rir, e sorrir como se não houvesse alguém ali, em sua frente, disposta a provar que sim, tudo que diz, é a mais pura verdade. Realmente não sei qual seria sua reação, e, aliás, creio fielmente que nunca irei descobrir.

Deve ser esse sentimento de talvez, que faz com que as batidas do meu coração entrem em uma sintonia nada agradável. Esse maldito talvez que atormenta minha paz, dia sim e dia não, esse talvez que me faz imaginar em quão felizes poderíamos ser juntos. Esse talvez que me faz ter certeza, de que é você e somente você quem poderá realmente acalmar esse coração nervoso, que ora salta pela boca e ora quase nem bate.

E se eu realmente tivesse a coragem necessária e pudesse abrir meu coração, e se esse meu coração magoado pudesse ser correspondido, e se desse certo, e se, que provavelmente irá me perturbar pelo resto de meus dias.
Eu só não quero passar a vida inteira pensando e lamentando tudo que poderia ter acontecido de bom, e não aconteceu por falta de coragem. Eu só não queria ter tanto medo, de quebrar a cara e principalmente o coração.

Mas, acima de tudo, eu só queria te ver sorrir mais uma vez, e mesmo que este teu sorriso não fosse destinado a mim, eu sorriria mesmo assim, e meu coração iria estar em paz novamente, até que as ondas agitadas voltem a me atormentar com o talvez de sempre. Enquanto essas ondas não chegam, sigo aqui, pensando em tudo que eu queria te dizer, e que talvez, mas só talvez, amanhã meu coração já tenha se acalmado e que volte finalmente a sorrir.


4 comentários

  1. Oi,tudo bem?

    Achei seu blog muito diferente e interessante. Encontrei seu blog sem querer pois estava pesquisando sobre cartas, que é um assunto que eu amo, e eu vejo que você gosta muito de escrever. Se tiver interesse, tenho um clube de trocas de cartas com mais de 800 membros procurando amizades através de cartinhas fofas :)

    Abraços,
    Gabriela
    www.mundodascartas.com

    ResponderExcluir
  2. Por "N" motivos, tenho andado desanimada para escrever em meu pequeno blog. Mas depois que li seus textos, me reacendeu a vontade que se encontrava apagada. Obrigada Duda. E parabéns pelo seu trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado amigo (a). Estou fazendo uma visita ao teu Blog. Meus parabéns pelos teus trabalhos e sucessos. Abraço de Manoel Limoeiro. Recife PE. http://grupounidoderodafogo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir